Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero e Sexualidade

O QUE É O NEGES?

O NEGES é um Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero e Sexualidade, da Universidade Federal de Campina Grande, (UFCG/Campus Sumé) dedicado à realização de discussões, pesquisas, ações, cursos e capacitações que contribuam para o conhecimento e promoção dos múltiplos direitos da população acerca das questões da equidade de gênero, da saúde sexual e reprodutiva de homens e mulheres e da diversidade sexual, tendo como lócus principal de investigação o contexto do Nordeste brasileiro. O núcleo será coordenado pelo professor Valdonilson Barbosa dos Santos, doutor em Antropologia e estudioso nas questões das relações de gênero, homens, masculinidades e violência conjugal.

QUEM PODERÁ PARTICIPAR:

Pesquisadores, professores e estudantes (graduação e pós-graduação)da UFCG e outras instituições de ensino, institutos, entidades,organizações civis, etc. e qualquer cidadão ou cidadã interessados em debater os temas propostos pelo núcleo.

AS ATIVIDADES PRETENDIDAS:

Encontros: serão organizados seminários e encontros mensais para debater temas pertinentes a proposta do núcleo, pesquisas concluídas e em andamento e relatos sobre ações e experiências de membros do próprio grupo e de palestrantes convidados, no intuito de fomentar trocas de experiências, intercâmbio de informações e acontecimentos de interesse comum.

Pesquisas e assessorias: será estimulado fazer pesquisas individuais e em grupo nas áreas de  gênero, homens e masculinidades, família, sexualidade humana e violência conjugal, com apoio de órgãos diversos realizando convênios, assessorias e outras prestações de serviços. Estas servirão como base para apresentações, publicações e propostas de ações. Além de articular ensino-pesquisa e extensão, através de projetos de Iniciação Científica, Especialização, Mestrado e Doutorado.

Publicações e Divulgações: buscar-se-á parcerias e recursos no sentido de possibilitar publicaçõesdos membros do NEGES e folders informativos sobre as pesquisas e ações realizadas.

Cursos e Capacitações: o grupo poderá oferecer cursos de capacitação em família, gênero, masculinidades, violência conjugal, cidadania, saúde, educação e sexualidade, e uma série de outros cursos e oficinas para instituições governamentais e não-governamentais.

 

TEMÁTICAS E ABORDAGENS DE PESQUISA

 

Família

Abordar os estudos de processos sociais que afetam a vivência da esfera familiar com as suas articulações com outras esferas com destaque para o parentesco, gênero e geração, e para diferentes estruturas de poder no nordeste do Brasil.

Gênero

Dar destaque às relações de gênero e as maneiras que elas se manifestam na realidade social, com destaque para as relações de poder no contexto do Nordeste brasileiro; além de contribuir para políticas públicas e ações comunitárias que promovem a equidade de gênero.

Sexualidade

Refletir a sexualidade humana como questão fundante das relações sociais, atravésdas suas diversas manifestações presentes na sociedade brasileira, em específico no Nordeste brasileiro, nesse sentido,será promovida a não discriminação de acordo com as orientações sexuais.

Saúde

Possibilitar o estudo e promoção de ações e políticas de saúde que redundam positivamente na vivência da família, do gênero e da sexualidade, realizando avaliações sobre comunicação e educação em saúde para contribuir para o respeito ao sujeito nos programas de saúde.

QUAIS AS PRETENSÕES DO NEGES?

O NEGES tem por objetivo construir uma agenda de pesquisa com ênfase nas temáticas acima relacionadas, de forma que possa ter o gênero como marcador social privilegiado nas investigações. Busca-se construir essa agenda de pesquisa através da interface entre as áreas (Sociologia, Ciência Política e Antropologia) das Ciências Sociais. Estabelecendo relação, do fenômeno investigado, entre o local e o global, de forma que as práticas sociais possam ser compreendidas e interpretadas enquanto fenômeno que ocorre no contexto de um território delimitado e se articula com fenômenos gerais.

QUAIS SÃO OS OBJETIVOS NEGES?

1) reunir pesquisadores nacionais e pesquisas que tenham o enfoque nas questões de gênero e os temas transversais;
2) instituir e ampliar (através da incorporação sucessiva de alunos da graduação dos diversos cursos do CDSA, da UFCGem geral e outras instituições parceiras) as atividades de grupos e de pesquisas emergentes, mas ainda dispersos, na área de Gênero e Sexualidade;

3) treinar pesquisadores nos níveis de graduação para atuar tanto no ensino quanto na pesquisa;
4) institucionalizar o núcleo de estudo e pesquisa e as temáticas a ele correlatas no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Sociais, na Unidade Acadêmica de Educação do Campo e CEPE (Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão) do Centro de Desenvolvimento Sustentável (CDSA), na Pró-Reitoria de Pesquisa e Extensão (PROPEX) da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e no Diretório de grupos de pesquisa do CNPq;

5) facilitar o intercâmbio e a troca de informações na comunidade científica brasileira a respeito das atividades de pesquisa desenvolvidas no âmbito dos estudos de gênero, homens, masculinidades e sexualidade humana, tendo como contexto o Nordeste brasileiro;

6) Construir um banco de dados que possibilite, a partir dele, a construção e sistematização de variados estudos que envolvam os estudos de gênero, homens, masculinidades, violência conjugal e sexualidade humana;

Em termos mais específicos, pretende-se também:
1) iniciar, de maneira sistemática e coordenada, uma série de estudos sobre a violência de gênero, a partir do Nordeste brasileiro, uma vez que essa temática exige atenção redobrada por ser um problema social grave;
2) produzir evidências empíricas e consolidar dados que sirvam de referência básica para comparações no plano nacional;
3) incentivar a produção e a publicação de livros, artigos, teses, dissertações e monografias relacionados às pesquisas desenvolvidas pelo NEGES.

O ENFOQUE

TEÓRICO

O termo gênero denota classificações entre categorias que, em sua relação, permite distinções ou agrupamentos separados. Por sua vez, são, necessariamente, formulações de caráter sociais e nada tem a ver com traços biológicos, ou seja, o mapa genético não define o comportamento nem os significados que são atribuídos às diferenças entre homens e mulheres, homens e homens, mulheres e mulheres. Assim, o conceito de gênero ganha um sentido englobador das relações humanas, na medida que dá espaço para as reflexões sobre a importância de se compreender as características do masculino como elemento fundamental para as explicações das diferenças de gênero. Entender as complexas relações de gênero implica, a partir de então, analisar tanto as diversas formas de ser homem como também de ser mulher. Tomando por base o conceito de gênero como uma construção social estabelecida a partir das relações entre homens e mulheres, homens e homens, mulheres e mulheres, pode-se dizer que as ações sociais tomam forma através das significações e diferenciações estabelecidas nas relações, e não que essas sejam caracteres genéticos pré-formatados pelo organismo. Pelo contrário, as leis que regem as relações de gênero nada mais são do que formulações sociais estabelecidas entre os sexos. Por sua vez, também já são vistas como tal através da elaboração humana, que se apresentam de diversas maneiras. O gênero é uma criação social e deve ser dada relevância aos sistemas de significação, que, sem dúvida, merecem uma atenção redobrada porque, através deles, pode-se compreender a formação e as costuras das relações sociais. Por isso, torna-se indispensável emergir no mundo dos sistemas de significação porque eles nos darão o passaporte para uma interpretação mais aproximada da realidade. Partindo, desses pressupostos se faz necessário uma reflexão que busca os sentidos e os significados de gênero para além da divisão entre masculino/feminino ou a dicotomia entre homem/mulher, e mapear também as áreas semânticas das ações relacionadas ao gênero. Esse mapeamento é possível, na medida que a reflexão é pautada na busca da compreensão das ações humanas, estabelecendo como foco central de análise os sistemas simbólicos que são as bases das significações. Nesse sentido, o gênero deve ser entendido como uma categoria que extrapola o nível das ações sexuadas.

METODOLÓGICO

O NEGES tem entre seus objetivos colaborar com a pesquisa acadêmica e com a divulgação científica para a comunidade em geral. Nossa pretensão é construir um acervo que possibilite a construção de um banco de dados sobre as temáticas abordadas, de forma que possamos fazer usos das mais diversas estratégias metodológicas utilizadas nos estudos de gênero, homens, masculinidades, violência conjugal e sexualidade humana. A proposta é fazer um levantamento das pesquisas e dos estudos de gênero, masculinidades, violência conjugale sexualidade humana. Também pretende-se construir um mapa da violência conjugal no Nordeste, na Paraíba e no território do Cariri. A proposta visa fazer uso da metodologia quantitativa e qualitativa de forma que as duas sejam inter-relacionadas nas pesquisas de acordo com as questões problemas e com o objeto de análise. Nesse sentido, em termos metodológicos, far-se-ão usos da:

  1. Etnografia;
  2. Análise do discurso;
  3. Análise de Conteúdo;
  4. História oral;
  5. História de vida;
  6. Análise documental;
  7. Software aplicado em pesquisa de cunho quantitativo: SPSS, Excel;

ESTRUTURA DO NEGES

O NEGES será formado por três linhas de Pesquisa:

    1. Gênero, Família e Sexualidade;
    2. Homens, masculinidades e contextos sociais;
    3. Violências de gênero.

LOCAL DE FUNCIONAMENTO

O NEGES funcionará junto ao Laboratório de Práticas Sociais e estará vinculado ao Curso de Licenciatura em Ciências Sociais da UFCG/Campus Sumé.

MEMBROS:

  • Coordenador: Prof. Dr. Valdonilson Barbosa dos Santos

Professores

  • Dr. Valdonilson Barbosa dos Santos – Universidade Federal de Campina (UFCG/Campus Sumé)
  • Dra. Mary Alves Mendes – Universidade Federal do Piauí (UFPI)
  • Dra. Maria de Assunção Lima de Paulo – Universidade Federal de Campina (UFCG/Campus Sede)
  • Dr. José Maria de Jesus Izquierdo Villota – Universidade Federal de Campina (UFCG/Campus Sede)
  • Dra. Elizabeth Christina de Andrade Lima – Universidade Federal de Campina (UFCG/Campus Sede)
  • Mestra Sheylla de Kassia Silva Galvão – Universidade Federal de Campina (UFCG/Campus Sumé)

 

Estudantes

  • Pós-Graduação:
  • Graduação:

Grupos e Instituições parceiros

  • HÉXIS/UFCG
  • FAGES/UFPE
  • GEMA/UFPE
  • INSTITUTO PAPAI
  • UFPI